sexta-feira, 27 de fevereiro de 2009

Quem sabe faz ao vivo?

. .
Talvez a única frase já proferida pelo gordo desde que ele foi transferido pro domingo, pra entreter vovós, que eu concorde.
Mesmo assim em termos.
Você já ouviu algum disco do B-52's?
Pegue o primeirão.
É classe.
Agora veja ao vivo.
Só conheço em vídeo.
É péssimo.
Mas é só um exemplo.

Na maioria das vezes, o ex-apresentador do Perdidos na Noite tem sua razão.
Já vi mais shows ao vivo.
Principalmente quando era pé-rapado (mais).
Por increça que parível.
Desde minha institucionalização, vi cada vez menos.
Pelo menos em pele e osso.
Porque, graças ao Youtube, nos últimos 3 anos conheço mais bandas ao vivo que poderia imaginar.
(Ao vivo -> Youtube? ok, bem confuso, rs)
Muitas já mortas.
Outras bem vivas.
Muitas nem tanto.
Ainda é o meu termômetro, mesmo assim.
Se não for de corpo presente, que seja no vídeo.
Não entendo por música, sem conferir a banda ao vivo.
Pixelada ou não.
Abaixo, 2 exemplos.

video

Arcade Fire.

video

TV on The Radio
.

Nunca as vi sem pixalizar.
Mas foi a partir desses dois vídeos que comecei a gostar das bandas.
Já tinha ouvido pouco antes os discos, na época.
O Arcade achei bem legal.
TV on the Radio também.
Mas sentia falta de algo nos dois, principalmente no TV on the Radio.
Punch.
Mas, na hora do "vamu vê";
Quando o atacante mostra o seu valor;
Que são lá pelos '39 do segundo tempo;
A hora de definir.
É o momento em cima do palco pra banda.
E essas duas mandaram ver.
Assim como espero que mandem ver Radiohead e Kraftwerk, em março, quando finalmente vou vê-las ao vivo.
Em frames, Radiohead é excelente.
E Kraftwerk é, espero que confirme, bizarro.

Vamu vê!

Nenhum comentário: